quinta-feira, 11 de julho de 2013

A metodologia da dúvida

Recentemente conversei com duas amigas queridas passando por momentos de indecisão nas suas carreiras. Insatisfeitas onde estão, elas passam por aquele processo de mudar-ou-não-mudar-eis-a-questão. E conversando com elas comecei a me lembrar dos momentos em que passei por isso. Acho que consegui resumir bem e pode ser um “guia” prático quando essas dúvidas surgirem na sua vida. Sim, porque como libriana que sou, detesto tomar decisões e nunca as tomo de impulso. Então costumo colocar no papel prós e contras e fazer quase uma “metodologia da dúvida”. 
Primeiro ponto: a gente nunca sabe o dia de amanhã. Pode ser que a nova empresa pra onde você pensa em mudar quebre, que seu chefe vá embora, que o clima de trabalho seja pior. OU pode ser que tudo melhore.
Boatos são boatos e podem nunca se confirmar. Seja porque eram só boatos, seja porque muita coisa pode mudar até você começar a trabalhar lá. 
Então não leve em consideração o que "pode" acontecer, mas sim o que você "quer" fazer.
Estes fatores externos não estão em suas mãos. Está em suas mãos decidir que caminho quer seguir. E, uma vez decidido, não se arrependa. Você tomou a decisão certa para aquele momento e com as decisões que tinha em mãos. Não se martirize se algo der errado.
Para saber se muda ou não de emprego, tudo é uma questão de prioridade nesta vida. Tente fazer uma lista com as SUAS prioridades.
A minha, por exemplo, é:
1. ter prazer ao trabalhar
2. ter espaço para uma vida bacana (noites e feriados)
3. ter qualidade de vida no trabalho
4. fazer um trabalho de que me orgulhe
Etc.
Por fim, se a dúvida permanecer, uma estratégia é imbatível:
Imagine-se daqui a um ano.
Agora, imagine-se daqui a 10.
O que você quer (sonha mesmo) estar fazendo em 11/07/2014? E em 11/07/2023?
Duvido que depois disso você não tome uma decisão.