sexta-feira, 27 de junho de 2014

Especial NY: do melhor do melhor da viagem

Foi muito programa legal, tanto que ficou difícil selecionar o best of the best, mas você, caro leitor, merece. Vamos lá ao imperdível, incontournable e unforgettable de NY:


O piquenique no Central Park.



O passeio Chelsea Market + Highline. Vista linda, passeio agradável, comidinhas (de lagosta a brownie, passando por queijos e focaccias), cerveja boa e roupas/objetos de decoração artesanais. Precisa mais?



Uma manhã no Harlem, o berço da cultura negra africana: o Apollo Theater, o coral gospel (na igreja First Corinthian Baptist) seguido de brunch no Red Rooster com jazz ao vivo. Os pontos negativos da igreja são que o pastor fala rápido DEMAIS e que você não se senta junto à comunidade. Fica "isolado" em uma espécie de segundo balcão para turistas. Mas ainda assim é emocionante.




A pizza gigante do Lombardi's, no Little Italy.


O carrossel no Brooklyn Park (Jane's carousel). Dizem que é o carrossel mais antigo dos Estados Unidos, datando de 1922 e todo feito de madeira. Fica em um pavilhão de vidro desenhado pelo arquiteto Jean Nouvel e oferece vista para a maravilhosa ponte do Brooklyn e para parte de Manhattan. Os tickets custam US$ 2, admite adultos e não abre às terças. Impossível não se sentir criança novamente. Eu tanto me senti que preferi não postar meu vídeo aqui. Pode acabar com minha credibilidade de jornalista séria ;-) 



O balé do Metropolitan Opera House. Custou US$40. Pois é. Não se deixe intimidar pela imponência e fama do lugar (e pelos impressionantes painéis de Marc Chagall), vá até a bilheteria (fica quase na frente de uma Century 21 e dá para ir a pé do Central Park) e se informe. Eu queria ter ido ver Cinderela, mas os ingressos haviam esgotado. Fomos, então, ver Dom Quixote. Foi lindo. Mesmo. Se você não for assistir a um balé no Met Opera House, não vai ver em lugar nenhum.


A ponte do Brooklyn. A arquitetura impressiona e a vista de Manhattan é a mais bonita de todas. E a gente colocou um cadeado na ponte, sim. Me julguem.



O Top of the Rock ao entardecer. É o melhor horário para visitar porque você vê a cidade de dia, as luzes se acendendo, e NY toda iluminada de noite. Vale também para o Empire State Building, mas, #ficadica, o Top of the Rock oferece uma bela vista do Central Park. E do Empire State Building. Sem contar que, se você no for no inverno, ao descer já dá de cara com a pista de patinação mais linda do mundo.


Uma taça de espumante no terraço do MET. O museu mais incrível da cidade tem um terraço surpreendente com um café. Simplesmente sente na grama sintética e tome uma taça de espumante com vista para a cidade e esqueça as três ou quatro horas que você passou devorando as obras de arte com os olhos.



Os queijos americanos. Anote esse nome: Rupert! E compre em uma das milhares de queijarias gourmet da cidade.



Os grafites - a mais incrível seleção de arte de rua por metro quadrado que já vi na vida - e a Flea Market do Brooklyn. Comprei um chapéu dos anos 70, comi o melhor sanduíche de brisket, como você sabe, trouxe lembranças que não teria encontrado em nenhum lugar... é algo realmente único.


Os milhares de chapéus feitos localmente, criados por designers sem nome conhecido, mas repletos de estilo.

O Especial NY do Só Porque Eu Gosto fica por aqui. Espero que vocês tenham gostado. Em breve, dicas quentes de um outro destino para você programar suas próximas férias.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Especial NY: o Lower East Side

Meu drink no Stanton Social e o ambiente do Beauty & Essex

Os picles e o sanduíche de pastrami da Katz


Sim, o "nosso" bairro ganhou um post só pra ele. Primeiro porque, claro, foi o lugar que mais conhecemos. Segundo porque realmente tem MUITA coisa pra fazer lá. A maior parte delas envolve comer. E beber. Confira: 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Especial NY: museus e galerias


O terraço do MET

A Noite Estrelada, de Van Gogh, que fica no MoMA, e a mostra 
do Costume Institute (MET) sobre o estilista Charles James


Eu confesso que sempre considerei mais a Europa nas minhas viagens que os EUA por considerar a gastronomia e a cultura mais ricas, mas paguei a língua. Se você gosta de uma programação cultural e artística, NY é o paraíso. Se é do tipo que passa longe de museus quando viaja, reveja seus conceitos.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Especial NY: Os doces


Três momentos açucarados da viagem: na Doughnut Plant, fondue de chocolate 
da Max Brenner e french toast com banana caramelada da Clinton Bakery 


O post mais difícil de escrever desta série, ou melhor, o mais difícil trabalho de edição. Para uma formiga como eu, selecionar os melhores doces da viagem é trabalho hercúleo. Mas me esforcei bastante para que você saiba o que de mais delicioso e açucarado a gente provou lá. Só um aviso: não gosto de cheesecake, então você não vai encontrar nenhum na minha lista, mas para não te deixar com água na boca, ouvi falar que o do Junior's, no Brooklyn, é o melhor. ;-)
Segue minha lista pra, sabe, você encomendar se for condenado à pena de morte, ou levar um pé na bunda, ou simplesmente chutar o balde. Vai saber quando a gente mais precisa disso, né? Ah, sim, se você não gosta de doces, pule este post. 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Especial NY: Comes e Bebes - leste de Manhattan e Brooklyn

Perdeu o último post? Clique aqui.



 
As cervejas claras do McSorley's e os chopps da Brooklyn Brewery

 
Dois ambientes do rebar, no Brooklyn

Eu sei, a minha divisão ficou estranha, porque o Brooklyn fica a oeste de Manhattan, mas tinha tanta, mas tanta coisa boa para falar do borough que achei melhor agrupar assim, ou vocês dormiriam no meio do post passado.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Especial NY: Comes e Bebes - Chelsea, Soho, Little Italy, West Village e mais

        A fachada do Kitchenette (o melhor milkshake da viagem) e o interior do Emporio, no Little Italy 

A entrada do club Smalls e a lagosta do The Lobster Place


Para mim, não existe viagem divertida sem boa comida (e boa bebida). E daí que essa foi uma das minhas maiores surpresas em NY. Obviamente eu sabia que havia todo tipo de cozinha por lá - todo mesmo, do clássico mac & cheese a excelentes italianos, japoneses e franceses, passando por marroquinos, tailandeses (a cidade, aliás, tem perfume de especiarias no ar) e até etiopano - o que eu não imaginava era que comer em NY, de um modo geral, era mais barato que comer em São Paulo.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Especial NY: O Central Park



Central Park em três atos

É grande. Enorme. Imenso. Se você tiver mais de uma semana, separe dois dias para ele, para poder aproveitar bem. Os strawberry fields, onde fica a homenagem a John Lennon, sempre têm músicos tocando no violão músicas dos Beatles, e a gente acaba ficando mais tempo lá do que esperava, porque é lindo, mesmo que você não seja um Beatlemaníaco. Vale dar uma volta a esmo pelo parque: a vista é linda de qualquer ponto dele.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Especial NY: A chegada

As maravilhas - e perrengues - do metrô

Nova York tem três aeroportos: Newark, La Guardia e JFK. Chegamos pelo primeiro. Nosso melhor amigo em NY, desde antes de chegarmos lá, virou o Google Maps. Isso porque quando, ainda aqui no Brasil, pesquisei quanto sairia um taxi de La Guardia até o Lower East Side e vi que sairia cerca de 75 dólares, corri para buscar uma alternativa. Todo mundo fala - e é verdade - que Manhattan é muito bem servida de metrôs, então, por que não?

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Especial NY: O antes - Parte 2


Perdeu o post passado? Clique aqui.


A sala do nosso apartamento no Lower East Side. 
A diária custava em torno de 300 reais em abril/maio. 

4. a moradia

Para quem vai estudar, as escolhas são variadas: residência estudantil, flat, apartamento dividido com outros estudantes, casa de família... nada disso tinha cara de ser nossas férias dos sonhos, a segunda lua-de-mel que procurávamos. Sobrava, é claro, hotel.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Especial NY: O antes - Parte 1

Arrumando a mala

Como planejamento é a palavra-chave, começamos decidindo em que época viajar. Isso rolou uns seis meses antes da viagem acontecer. Se você conseguir planejar com mais antecedência melhor ainda porque as passagens estão mais baratas e há mais opções de hospedagem. 

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Passei um mês em NY e não conheci a Estátua





Aí você me pergunta: e se arrependeu? E eu te respondo: o segredo para uma viagem ser bem aproveitada não reside em conhecer todos os principais pontos turísticos. Tampouco em evitá-los todos. O segredo para não ter aquelas famosas férias frustradas é um só: planejamento.