quinta-feira, 12 de março de 2015

Um roteiro de dois dias em Hamburgo...

...cidade que tem um pouco de Londres, um pouco de Amsterdã, um pouco de Paris e um pouco de Hogwarts

"Você só conhece Hamburgo depois que tiver o Rio a seus pés", nos disse a guia do ônibus turístico - aqueles, de dois andares, que costumam ser uma roubada, mas valem muito a pena se você só tem dois dias para conhecer a cidade - e ainda por cima chove.






Sem pestanejar, saltei no ponto do porto antigo e dei uma voltinha por ali, admirando o vai e vem dos pedestres, do barcos e as mil barraquinhas de comida. Não sem antes parar para apreciar um bom crepe de marzipã. Dali, a gente vê cenas de um encanto cotidiano e, para uma brasileira, ainda assim raras. O vento gelado, os barcos jogando água no píer e o sol que se abre cinco minutos depois do maior toró.

A promenade à beira do lago, com belas mansões é outro passeio que me pareceu ser mais legal do ônibus que a pé, visto que o comércio e mesmo um café ou casa de chá são raridades em certos pontos por ali. E passar por todas aquelas belíssimas construções rapidamente ajuda a dar uma ideia do conjunto arquitetônico da região, que "tem o charme do Notting Hill inglês", observou uma senhora ao meu lado.

Se tiver umas duas horas livres, recomendo explorar o museu Kunsthallen. No momento, está em reforma e apenas parte de seu acervo (que tem de Monet a Andy Warhol) está disponível, mas eu, por exemplo, dei sorte de pegar a mostra temporária da coleção de uma família (pobrinha, coitada... Hehehe) que tinha foco nos impressionistas e quase morri como os Vuillards, Monets, Manets e Renoirs...

Já no bairro de St Pauli, as avenidas lembram o Pigale parisiense, com boates, "cinemas para adultos" e lojas de sex toys. A região também costuma ser comparada à rua vermelha, em Amsterdã.

Outra semelhança com a capital holandesa é a paixão dos locais por bicicleta. Chova ou faça sol. Eu acabei não conseguindo, mas realmente pedalar ladeando o lago deve ser uma bela experiência.
Os pontos turísticos fundamentais, como a prefeitura e a igreja St Michael, são bem bonitos, mas nem de longe meus preferidos na cidade.

Agora, o Hafen City, porto que está sendo revitalizado desde 2009, é um show! Um projeto sério do governo com investimento privado que está criando um bairro "para pessoas, e não para carros". Urbanismo que mescla moradias populares a residências de luxo, hotéis, lojas e escolas em construções modernas com muito branco e arranha-céus, contrastando com os tradicionais edifícios baixos, de tijolo à vista, com aqueles tetos pontudos à la Hogwarts (alô, Harry Potter fans). E tudo entremeado de pontes (são mais pontes aqui que em Amsterdã e Veneza juntas, reza a lenda) e vistas do rio Alster. Uma experiência imperdível, que fica completa se você consegue terminar o dia com um happy hour no bar do hotel 25 hours, por ali mesmo, badalado e com ótima música ao vivo nos sábados à noite. O hotel, aliás, é um lugar supercool, que reproduz o ambiente de um porto vintage, com marinheiros, âncoras e toda a simbologia que representa esse universo.

Já para jantar, eu escolhi o restaurante da Franziskaner, perto da prefeitura: bem típico, com cerveja maravilhosa e um prato de kasseler e sauer kraut (carne de porco defumada e chucrute) que me deixaram pra lá de satisfeita. Ah, sim, e tudo por 15 (!) euros.

O café da manhã, se você estiver a fim de ser mimado, pode acontecer no hotel Vier Jahreszeiten: frios e queijos para todo gosto, geleias caseiras de comer rezando e pastries como croissants e doces folheados com canela, maçã ou chocolate que vão te fazer esquecer a dieta na hora. Detalhe: cuide com o dress code porque não dá para entrar lá de shorts ou jeans, tênis e camiseta.

Ah, fundamental: se você acha que São Paulo tem as quatro estações no mesmo dia é porque não conhece Hamburgo: eles têm as quatro na mesma hora. Literalmente, tudo pode mudar em cinco minutos, então saia sempre com um guarda-chuva: da neve à chuva, do sol a um lindo arco-íris, que pode ser apenas mais uma das tantas belas surpresas que a maior cidade portuária da Alemanha reserva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui.